Todo bom gateiro sabe que cada gato e único, mas você sabia que a personalidade dos animais é um ramo da ciência, e que descobertas incríveis nos auxiliam a entender melhor nossos bichanos?

Todo gateiro que possui mais de um felino é capaz de descrever as diferenças e características do temperamento de cada um de seus indivíduos. Basta um ou mais gateiros se encontrarem para quererem contar as peripécias e diferenças de seus bichanos. Mas você sabia que os cientistas têm descoberto que os gatos, possuem diferentes traços de personalidade, assim como nós, humanos?

O termo personalidade refere-se as diferenças individuais existentes nos padrões comportamentais. Na área de etologia, que estuda o comportamento animal, pesquisadores vêm estudando diferentes classificações com base em relações ambientais e genéticas que tornam cada indivíduo com padrões comportamentais tão parecidos ou distintos.

Baseados no “The Big Five”, fatores de personalidades humanas, pesquisadores dos Estados Unidos, identificaram 5 fatores de personalidades felinas o “ The Feline Five” que classifica os gatos em cinco traços como: Neuroticismo, Extroversão, Dominância, Impulsividade e Agradabilidade.


1) Neuroticismo: são aqueles que refletem níveis de insegurança, ansiedade, medo de pessoas e timidez.

2) Extroversão: são gatos que possuem maiores níveis de auto-controle, atividade, vigilância, curiosidade e rapidez.

3) Dominância: gatos com traços de Dominância, não são gatos “dominantes” ou “alfa” em nível hierárquico, como vocês podem pensar, mas sim gatinhos que possuem maior tendência de perseguirem e serem mais agressivos em relação a outros gatos.

4) Impulsividade: Gatos considerados impulsivos, são aqueles que refletem gatos que possuem o ímpeto de fugirem do ambiente, serem mais erráticos e reagirem de maneira mais aguda a agentes estressores presentes no ambiente.

5) Agradabilidade: gatos com esse traço são aqueles com maiores níveis de demonstrarem afeição e serem amigáveis com humanos.

A classificação dos traços de personalidade dos felinos não serve apenas para rotular os gatos em um dos aspectos dessas cinco variações, e sim para mensurar os níveis de cada fator da classificação utilizando escores. Por exemplo, quando o gatinho avaliado possui maiores traços de Impulsividade, essa classificação pode indicar que o indivíduo está reagindo a algo estressante existente no ambiente. A partir disso, pode-se investigar melhor o ambiente a fim de erradicar a presença deste estímulo estressor. Gatos que classificam com traços de Neuroticismo, podem ter sofrido situações traumáticas oriundos de contatos negativos com humanos, e a partir dessa classificação é possível iniciar um processo de sociabilização para que este indivíduo aumente seus traços de Agradabilidade.

Pesquisas recentes revelam como a personalidade pode ser importante para os índices de adoção dos indivíduos e como os traços de personalidade dos tutores podem refletir na personalidade dos gatos. Duas pesquisas publicadas em 2019 por pesquisadores do Reino Unido, revelaram similaridades existentes em correlações da personalidade dos tutores com a de seus gatos. Por exemplo, tutores classificados com altos índices de Agradabilidade, tiveram seus gatos classificados com traços de felinos amigáveis e em “boa forma”. Entretanto, tutores com traços de Neuroticismo, apresentaram gatos com traços de ansiedade, medo e doenças relacionadas ao estresse. Uma das pesquisas também aponta que as características da personalidade do tutor, refletem também nos tipos de cuidados que ele provê para os seus gatos.

A personalidade de um indivíduo, seja humano ou animal, é resultado de fatores genéticos e ambientais. Em relação aos fatores ambientais, as experiências prévias e aprendizagem possuem um papel fundamental na formação desta personalidade. Desta forma, a flexibilização de traços que comprometem o bem-estar de um indivíduo pode e deve ser trabalhada com a utilização de ferramentas da psicologia (humana e animal). Sendo assim, o tratamento comportamental é fundamental para que o indivíduo consiga lidar de maneira efetiva com seu ambiente e suas relações sociais.

E seu gatinho? Reflete sua personalidade? Há traços na personalidade dele que poderiam ser melhor flexibilizados? Conte conosco para isso!


Dra Juliana Damasceno

Bióloga, Mestre e Doutora em Psicobiologia


Referências:

EVANS, Rebecca et al. The purrfect match: The influence of personality on owner satisfaction with their domestic cat (Felis silvestris catus). Personality and Individual Differences, v. 138, p. 252-256, 2019.


FINKA, Lauren R. et al. Owner personality and the wellbeing of their cats share parallels with the parent-child relationship. PloS one, v. 14, n. 2, 2019.


LITCHFIELD, Carla A. et al. The ‘Feline Five’: An exploration of personality in pet cats (Felis catus). PLoS One, v. 12, n. 8, p. e0183455, 2017.

448 visualizaçõesEscreva um comentário

Nós gateiros não resistimos a imagem do felino mostrando aquela barriguinha linda pra gente, logo nos sentimos atraídos a acariciar, mas será que nosso gatinho se sente confortável?

Muitas vezes nosso gatinho nos mostra aquela barriguinha linda e peluda quando chegamos em casa, ou em algum momento no qual ele quer chamar nossa atenção. Intuitivamente comparando com o que conhecemos do comportamento dos cães, interpretamos este gesto como um convite a acariciarmos a barriga, e diversas vezes somos surpreendidos por aquela "dentada". E ficamos sem entender, "por quê ele pede carinho e depois me morde?". A resposta para esta pergunta está na interpretação do comportamento, na verdade nosso gatinho não está nos convidando a fazer carinho na barriga, pelo contrário, ele geralmente sente desconforto se tocamos nesta área.

Os gatos geralmente possuem alta sensibilidade na região da barriga, havendo uma hiperestimulação quando recebem toques nesta região, ou seja, uma sensação como a de "cócegas" fazendo se sentirem desconfortáveis. Muitos gatos irão expressar este desconforto mordendo a mão dos tutores, uns mordendo mais forte outros mais fraco, mas este comportamento geralmente está atrelado a uma tentativa de "avisar o humano para parar o toque". A estimulação do toque nesta área também pode motivar o gatinho a engajar em comportamentos de play, relacionado a "lutinhas" assim como eles fazem quando são filhotes. Mas afinal, qual a razão deles nos mostrarem a barriga se não for para tocarmos? Margot, uma de nossas lindas wellfelinas da foto ao lado, faz sempre esse gesto para sua tutora, Ana Rocha Tropia. Diariamente Margot exibe sua barriguinha e a tutora torna este momento divertido, compartilhando sempre na página do instagram dos peludinhos @margoteabel. Ela sempre diz que a Margot "desmaiou" e que vai chamar a ambulância, faz o som da ambulância e dá carinho para ela "ressucitar". Este momento torna-se uma aliança de qualidade entre as duas, sendo positivo para ambas. A Margot, neste momento, assim como muitos gatos, está mostrando a barriga como um sinal de carinho e requerimento de atenção.

Em seus primeiros meses de vida, na fase em que o filhote está com a mãe e os irmãos de ninhada, mostrar a barriga é um sinal de confiança, tanto para os momentos de comportamentos afiliativos, como o de limpeza, quanto para momentos de brincadeira entre mãe e filhotes e entre filhotes. Em um treino para as lutas com outros gatos na vida adulta, as brincadeiras entre filhotes envolvem diversas posturas corporais, dentre elas mostrar a barriga pode até mesmo ser um chamado para este tipo de brincadeira.


Desta forma, mostrar a barriga para nós, humanos, pode ser interpretado como um "abraço de gato". Pode ser uma saudação, um requerimento de carinho e atenção ou apenas um "gosto de você".

Mas atenção, por ser um comportamento também utilizado em momentos de brincadeira, tocar na barriga do seu gatinho e deixar que ele brinque de morder a sua mão pode motivar ele a buscar a sua atenção com mordidas. Sim, muitos casos de agressividade em felinos surgem em "brincadeiras de mão" com os gatos. Por esse motivo, além do desconforto do felino, recomendamos evitar as brincadeiras com as mãos. Sejam elas embaixo de lençóis, cobertas ou mesmo com a própria mão. A dica é redirecionar a atenção do felino para uma outra brincadeira, quando ele se interessar por brincar com as mãos. Assim, a brincadeira será divertida e segura para ambos, gatinhos e humanos.


Alguns gatos, irão gostar de serem acariciados na barriga, e irão aproveitar deste carinho, quando realizado por seus tutores ou pessoas conhecidas. Pessoas que eles confiem e tenham uma relação amistosa em relação ao toque. Ainda assim, esses gatos são considerados "fora da média". Geralmente, os gatos se sentirão confortáveis com toques em regiões como a cabeça, queixo e bochecha. Essas regiões possuem glândulas secretoras de feromônio, e quando esfregadas causam uma sensação de bem-estar.

Por isso, sempre ao nos aproximarmos de um gatinho, conhecendo ele ou não o ideal é sempre procurar acariciá-lo nessas áreas. Assim, ao esfregar essas áreas, além de depositar o odor corporal deles em você, o que os deixam mais seguros em relação a sua presença, a sensação de bem-estar ao toque será associada a você, promovendo um elo de ligação entre você e o felino. A partir de hoje então, o gato mostrou a barriguinha? bochecha, queixo e cabeça, Carinho liberado!




Dra Juliana Damasceno

Bióloga, Mestre e Doutora em Psicobiologia

Fundadora da Wellfelis









435 visualizações1 comentário

​​​WellFelis ​© 2016 | Comportamento Felino

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

(11) 94545-3526

contato@wellfelis.com.br

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon