Meu gato está idoso, e agora?

A importância dos cuidados especiais para gatos “na terceira idade”.


Os gatos vêm se adaptando cada vez mais ao mundo moderno, a qualidade de vida dos felinos vem crescendo a cada ano, resultado do avanço em cuidados na área da medicina veterinária, nutrição animal e demais produtos e serviços para os felinos. A expectativa de vida de gatos domiciliados (ou seja, gatos que são criados de forma residencial, sem acesso à rua), se prolongou nos últimos anos, podendo chegar além dos 20 anos de idade. Estudos revelam que gatos acima de 8 anos já representam 40% nos atendimentos veterinários para felinos, o que demonstra a necessidade da identificação dos cuidados ideais para esta fase de vida.

Mas como saber se meu gato já está idoso? Os gatos domésticos são considerados adultos até os 6 anos de idade, acima disto já são considerados adultos maduros, entrando no estágio dos gatinhos idosos. A fase de adulto maduro vai dos 7 aos 10 anos, quando o gato possui de 11 a 14 anos ele é classificado como sênior, e acima dos 15 ele passa a ser super sênior ou geriátrico. Essa classificação auxilia a identificar métodos de avaliação da saúde física, tratamentos, nutrição, adaptações ambientais, questões relacionadas à disfunções cognitivas e motoras, assim como comportamentais.


A medida que a idade do gato avança, cuidados e tratamentos relacionados à saúde física e psicológica são direcionadas de acordo com a fase de vida, ambiente, condições clínicas, relações sociais, comunicações e atividades de cada gato. Primeiramente é fundamental sabermos qual a idade aproximada do gato, mesmo que não tenha o conhecimento da data de nascimento, é possível estimar uma possível idade com base em características físicas dos gatos, como a dentição. Profissionais especializados em felinos conseguem identificar aproximadamente a idade de um gato adulto pelo estado de conservação dos dentes, ou ainda com o auxílio de um exame de raio x da arcada dentária. Após estimada a idade, é hora de manter o checkup do gato sempre em dia.

Gatos idosos possuem propensão a diversas doenças por apresentarem uma tendência ao declínio em seu sistema imune, diminuição da capacidade de absorção/digestão dos alimentos, artrite, doença renal crônica, diabetes, hipertireoidismo, doenças dentárias, perda de cognição e memória, doença intestinal inflamatória, neoplasias, constipação entre outras. Muitos destes problemas de saúde são facilmente associados como “normais” pelo próprio envelhecimento e dessa forma não recebem a devida importância e são subestimados. Por isso é de extrema importância e necessidade de checkups periódicos para anteciparmos o aparecimento dos sintomas. Para gatos saudáveis os checkups devem ser anuais até os 12 anos. Após 12 anos de idade é indicado que os checkups sejam semestrais e após 15 anos de idade a cada 4 meses. Se o gato já possui alguma alteração de saúde a frequência de checkups deve ser individualizada para o quadro que ele apresenta. Lembrando que os checkups incluem a visita ao médico veterinário e a solicitação de exames laboratoriais necessários para aquele paciente.

As primeiras alterações visíveis são sempre as comportamentais, alguns sinais que a idade do seu gato pode estar afetando a saúde dele são: aumento ou redução do apetite, eliminação em locais inadequados, agressividade, aumento ou redução de vocalizações, modificação da rotina de descanso, dificuldades motoras, entre outras.

Mudanças no comportamento podem caracterizar a existência de uma doença física e/ou psicológica. Além disso, gatos idosos são muito mais sensíveis ao estresse, e podem sofrer com os impactos de pequenas a grandes alterações em seu ambiente como: mudanças na rotina da casa, mudança de residência, chegada de um novo animal, conflitos entre gatos já residentes, períodos sem o tutor em casa, entre outras situações que podem gerar estresse.


Portanto, se você tem um gatinho idoso é fundamental ficar de olho na saúde física e emocional dele, ter acompanhamento veterinário especializado e frequente, assim como de um profissional de comportamento caso observe alguma das alterações citadas acima ou qualquer modificação no padrão de comportamento do seu gatinho. Cuidados específicos na rotina diária relacionados a nutrição, atividades, controle de variáveis que promovam estresse, harmonização do ambiente social, entre outras orientações podem ser aplicadas de acordo com o perfil de cada senhorzinho.


Cuidar do bem-estar do seu idosinho felino, promoverá uma velhice longa, saudável e feliz.



Por:


Dra Juliana Damasceno

M.V. Estela Pazos



Referências Bibliográficas


Rodan, I., & Heath, S. (2015). Feline behavioral health and welfare. Elsevier Health Sciences.


Miele, A., Sordo, L., & Gunn-Moore, D. A. (2020). Feline Aging: Promoting Physiologic and Emotional Well-being. Veterinary Clinics: Small Animal Practice, 50(4), 719-748.


Vogt, A. H., Rodan, I., Brown, M., Brown, S., Buffington, C. T., Forman, M. L., ... & Sparkes, A. (2010). AAFP-AAHA: feline life stage guidelines.

654 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo